sábado, 13 de abril de 2013

4) AVALIAÇÃO DO RISCO CARDIOVASCULAR USANDO A PROTEÍNA C REATIVA ULTRA-SENSÍVEL





Os estudos estatísticos que identificaram o risco cardiovascular foram feitos registrando o número de infartos e AVCs em pessoas com elevações da proteína C reativa, monitoradas por um determinado período de tempo.

Os resultados observados permitiram desenvolver a seguinte tabela para avaliação do risco cardiovascular:

RISCO ALTO:  MAIOR DO QUE 3 mg/l (ou 0,3 mg/dl)

RISCO MÉDIO: de 1 a 3 mg/l (ou de 0,1 a 0,3 mg/dl)

RISCO BAIXO: MENOR DO QUE 1 mg/l (ou 0,1 mg/dl)

Note que o valor muda se o resultado é expresso em miligramas por litro (mg/l) ou em miligramas por decilitro (mg/dl) porque
1 decilitro (dl) é dez vezes menor do que 1 litro (l), por isso o número de miligramas em 1 dl é dez vezes menor do que em 1 l.

Através dessa tabela, o risco cardiovascular é avaliado diretamente, bastando verificar em que faixa se encontra o resultado da pessoa que está sendo avaliada.

A avaliação do risco cardiovascular através da proteína C reativa não leva em consideração se há outros fatores de risco associados nem se a pessoa apresenta algum sintoma de doença. A avaliação é feita exclusivamente pela posição do resultado do exame na tabela de risco cardiovascular.

Assim, estatisticamente, proteína C reativa, dosada pelo método ultra-sensível, acima de 3mg/l (ou 0,3mg/dl) significa risco cardiovascular alto para a ocorrência de oclusão arterial, que pode resultar em infarto do coração ou AVC.

Há apenas uma exceção: Se houver uma doença que cause inflamação em qualquer parte do corpo, a proteína C reativa não deve ser usada para avaliar o risco cardiovascular porque doenças que causam inflamação produzem inflamação mais intensa do que a da parede das artérias que resulta em risco cardiovascular alto e elevam a proteína C reativa acima de 5mg/l (ou 0,5 mg/dl).


VEJA A SEGUIR DETALHES SOBRE O AUMENTO DA PROTEÍNA C REATIVA NAS DOENÇAS INFLAMATÓRIAS





INÍCIO     ANTERIOR     PRÓXIMO

20 comentários:

  1. Olá doutor.
    Esses valores altos são considerados um risco em qlq situação, ou apenas quando o valor se mantém alto por um período prolongado (meses / anos)? Outra pergunta, é recomendado que em todos os exames de sangue ou consultas com cardiologistas a Proteína C Reativa seja verificada?
    Estou com uma pneumonia atípica e meu nível dessa proteína está em 2,98mg/dl segundo o exame laboratorial. A médica não comentou nada a respeito dessa proteína, apenas disse que o valor estava alterado e isso era resultado da infecção. Mas ao pesquisar em casa (leigo lendo coisas na internet) fiquei preocupado. Corro riscos cardiovasculares por conta dessa alteração?

    ResponderExcluir
  2. Paulo Victor:
    Como está explicado no artigo - "se houver alguma doença que cause inflamação em qualquer parte do corpo, a proteína C reativa não deve ser usada para avaliar o risco cardiovascular...".
    Pneumonia, típica ou atípica, causa inflamação nos pulmões, portanto iaumenta a proteína C reativa que, por isso, não serve para avaliar o risco cardiovascular em casos assim.

    ResponderExcluir
  3. Dr,
    meu exame acusou 8,97mg/dl de proteina C reativa.O colesterol em níveis limítrofes.Fiz o exame por diagnóstico de pneumonia através da asculta.O RX não detectou nada(laudo).Mas estou com um quadro de sinusite.O aumento pode ser por isso ou pode ser risco cardiovascular?

    ResponderExcluir
  4. Ana Lucia:
    Sinusite e a inflamaçáo dos seios da face. Pode ser causada por infecção, alergia e outras causas mais raras mas, qualquer que seja a causa, sempre há inflamação no local. Por isso a proteína C reativa pode aumentar em casos de sinusite, não devendo ser usada para avaliar o risco cardiovascular em quem tem esse diagnóstico.

    ResponderExcluir
  5. Dr.
    O resultado do PCR que fiz foi de 3,6. Sou hipertenso (tomo medicação-losartana e sinvastatina), mas meus exames de sangue deram: glicose=58, colesterol total=132, colesterol HDL=37, triglicerideos=96. Tive infecção urinária uma semana antes de realizar o exame. Fiz o exame dois dias depois de terminar de tomar o antibiótico. Será que foi isso que alterou ou realmente é risco cardiovascular? Quando se confirma risco cardiovascular o tratamento é medicamentoso ou não? Obrigado!!!

    ResponderExcluir
  6. Angelo:
    O aumento pode ter sido devido à infecção mas não há como ter certeza. Nesses casos, recomenda-se repetir o exame após algumas semanas para entender melhor a situação. Se o aumento foi devido à infecção, o esperado é que o resultado volte ao normal após alguns dias.
    Sobre o tratamento para diminuir o risco cardiovascular leia O QUE POSSO FAZER PARA BAIXAR A PROTEÍNA C REATIVA E DIMINUIR O RISCO CARDIOVASCULAR?

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde

    o meu exame deu: "proteína c reativa ultrasensível 7,75 mg/l. Então o caso meu é sério ??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raul:
      Você tirou uma conclusão errada - proteína C reativa de 7,75mg/l não quer dizer que o caso é "sério".
      "Sério" não é a qualificação ideal para uma situação médica; é melhor usar "grave" em vez de "sério".
      A gravidade de um caso não deve ser avaliada apenas pela proteína C reativa.
      Não confunda "risco cardiovascular de uma pessoa" com "caso sério" (ou grave)....
      O risco cardiovascular mostra apenas grupos de pessoas que apresentam maiores números de infartos ou AVC à medida que o risco aumenta.
      O risco cardiovascular não mostra que as pessoas estão doentes, mostra apenas quem tem maior risco de ter infarto ou AVC. Não diz quem terá nem quando; é apenas um alerta para a adoção de medidas preventivas.
      Se não mostra que alguém está doente, não se pode usar o risco cardiovascular para dizer que um caso é "sério" (ou grave) e também não se deve usar proteína C reativa de 7,75mg/l para chegar a essa conclusão.
      Acima de 5mg/l a proteína C reativa é usada para avaliação de doenças inflamatórias e, nesses casos, não serve para avaliar o risco cardiovascular.
      A avaliação da gravidade de um caso só pode ser feita em uma consulta médica com história da doença e principalmente com o exame físico do doente. Não existe nenhum resultado de exame de laboratório que isaoladamente diga que um caso é "sério" (ou grave).

      Excluir
  8. Olá Dr. Luiz,

    Bom dia!

    Meu resultado do exame Proteína C reativa deu 6. Tenho sentido muitas dores nas pernas e principalmente nos pés ( meus pés são constantemente doloridos )... Tem alguma relação esse resultado ao que estou sentindo? Agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somhara:
      Pode ter mas a avaliação do resultado do exame só pode ser feita com o exame físico dos locais doloridos.
      Dores nas pernas e pés devem sempre ser consultadas em primeiro lugar com um reumatologista.

      Excluir
  9. Bom dia Dr. Luiz !!! fiz esse exame de proteína c reativa ultra sensível e o resultado foi 4,42, gostaria de saber se é grave, tive câncer de tireoide, câncer no rim e retirei o baço e estou com enfisema pulmonar e artrose, por favor peço a sua ajuda. Obrigada e tenha um bom dia.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia!
    Dr. Luiz Claudio por duas vezes fiz o exame da Proteina C R ultra sensilvel e foram superiores a 20, pode haver alguma correlação cardiovascular?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane:
      Valores como esse não servem para fazer correlação cardiovascular.

      Excluir
  11. Jonaciara:
    Proteína C reativa não serve para saber se é grave.
    Doenças passadas não servem para explicar resultados atuais.
    Artrose e enfisema pulmonar não aumentam a proteína C reativa, a menos que haja complicações.
    Sugiro que consulte um reumatologista para saber qual a explicação para o seu caso.

    ResponderExcluir
  12. boa tarde DR.
    Fiz analises e tou c os seguintes valores que me deixaram um pouco preocupada: velocidade de sedimentaçao na 1º hora 42 ( um pouco elevada relativo aos parametros), proteina c reativa ultra sensivel 0.74 ( tambem elevada em relaçao aos parametros), colesterol total 237, LH 73.9( tambem elevada em relaºao aos valores de referencia para hormonas de variaçao ciclica e PTH intacta 95 ( tambem elevada).T enho imensas dores no corpo e articulaçoes. Assim sumariamente que lhe parece Dr? grata pela atençao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terezinha:
      Parece que você deve consultar um reumatologista por causa das dores no corpo e nas articulações.

      Excluir
  13. Dr. Luiz. meu PCR deu 16,27 mg/l, estou com inflamação nos cotovelos. Mesmo assim achei esse valor uito alto. Existe algum tratamento para baixar a PCR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeria:
      Não existe "tratamento para baixar a PCR. O tratamento deve ser feito para eliminar o que causou a elevação, no caso, a "inflamação no cotovelo". Quando a inflamação no cotovelo for controlada, a PCR irá normalizar.
      Resta saber o que é a "inflamação no cotovelo"... Pode ser artrite, bursite, tendinite, dermatite, miosite, osteíte, etc. Todas são exemplos de inflamação que podem afetar o cotovelo. Se você sabe apenas que tem "inflamação no cotovelo", consulte um reumatologista para saber o que tem realmente - "inflamação no cotovelo" não é um diagnóstico.

      Excluir
  14. Boa noite! Gostaria de saber se todas as pessoas saudáveis produzem a PCR, ou seja, existe a possibilidade de uma pessoa não produzir a PCR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gustavo:
      A possibilidade existe, é muito rara e não tem importância clínica.

      Excluir

Não é possível comentar as postagens do blog.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.